Brasil supera Itália no ranking mundial de capacidade instalada de energia eólica

29/09/2015 - Recife - PE - O governador Paulo Camara, durante  Inauguração do Complexo Santa Brígida, empreendimento de R$ 864 milhões, mais do que duplicará a participação energética oriunda dos ventos no EstadoFotos: Aluísio Moreira/SEI

País ocupa nona posição, mas representa apenas 2,2% da estrutura global

Deivid Souza / Foto: Aluísio Moreira/SEI

O Brasil ganhou uma posição no ranking de países com maior capacidade instalada de geração de energia eólica. A Itália ficou para trás. O País galgou a posição graças ao incremento de 2.014 megawats, agora os ventos brasileiros podem alimentar uma potência de 10.740 megawatt (MW). Os dados são do relatório Global Wind Statistics 2016, que foi produzido pelo Global World Council.

A capacidade instalada de energia dos ventos no Brasil corresponde a 2,2% do total mundial. A China lidera com participação de 42,7%, seguida por Estados Unidos (15%) e Alemanhã (10%).

A potência de geração de energia eólica instalada no Planeta alcançou o pico em 2016 com 486.749 MW. O ano passado, no entanto, teve investimentos menores que 2015 – ano recordo – neste segmento, quando a ampliação foi de 63.633 MW. O ano de 2016 fechou com aumento de 54.600, ou seja, 14,2% menor que 2015.

Em comparação com os demais países da América Latina, o Brasil está no topo da lista, seguido por Chile (911 MW) e Uruguai (845 MW).