Canal Sustentável integra Rede de Monitoramento Cidadão

WhatsApp Image 2017-03-30 at 18.04.37

Editor do site, Deivid Souza, vai atuar em grupo estratégico de instituição que visa contribuir para melhoria da qualidade de vida em Goiânia

 

Um evento técnico marcou a formalização da Rede de Monitoramento Cidadão (RMC) Goiânia na manhã desta quinta-feira (30), na sede do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), em Goiânia. O Canal Sustentável é um dos parceiros da instituição.

O Grupo Executivo (GE), que compõe a primeira linha do organograma, é formado por representantes do setor produtivo, academia e sociedade civil. Associação Comercial, Industrial e de Serviços do Estado de Goiás (ACIEG), Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC-GO) e Observatório Social (OS), que estão representados respectivamente por Allan Máximo de Holanda, Ms. Antônio Pasqualetto e Nathália Yoshimura. O Canal Sustentável, representado pelo editor Deivid Souza, vai integrar o Grupo Estratégico, juntamente com Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Goiás (Crea-GO) e Sebrae.

A rede, como o Canal Sustentável adiantou no dia 22/3, é um dos eixos do Programa Cidades Emergentes e Sustentáveis do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e é composta por organizações da sociedade civil, iniciativa privada, meios de comunicação e academia, entre outros.

A instituição foi criada para qualificar o debate sobre qualidade de vida. A ideia é que ela produza indicadores para monitorar políticas públicas, acompanhar o desenvolvimento urbano e ainda proponha soluções para a cidade. Os indicadores tratam de diversos temas como mobilidade, trânsito, segurança pública e saúde, entre outros.

Assembleia define representantes da RMC Goiânia e delibera sobre estatuto
Assembleia define representantes da RMC Goiânia e delibera sobre estatuto

Próximos passos

O coordenador nacional do projeto de implantação das Redes de Monitoramento, Fernando Penedo, disse estar contente com a resposta das instituições e afirmou que de agora em diante a Rede tem muito trabalho pela frente.

“Nós vamos agora construir um conjunto de indicadores para levantar os dados da cidade, e aliás, essa é uma pauta que já está acontecendo com 137 indicadores. Posteriormente, vamos abrir uma chamada pública à sociedade para quem quiser atuar nesse grupo de trabalho. A ideia é que até o meio do ano nós tenhamos os resultados apurados”, explica Penedo.

Desafio

Para o presidente eleito da RMC Goiânia, Allan Máximo de Holanda, a equipe de trabalho que foi montada está à altura dos desafios que terá pela frente. “É com extrema alegria e sabedor que teremos uma batalha grande pela frente para contribuir com os entes públicos e privados. A ajuda e necessária, é uma organização de organizações. Nós montamos um time muito competitivo e qualificado com as academias, setor produtivo e setor produtivo para as execuções desse projeto”, acredita o presidente.

A Rede que atuará em Goiânia e em outras quatro capitais brasileiras. Na América Latina e Caribe são 71 cidades aplicando a metodologia do BID.

A metodologia CES foi criada em 2010 e focada em cidades médias e de crescimento acelerado na América Latina e Caribe e, até o presente momento, já foi executada em 71 cidades do continente. Além de Goiânia, outras quatro capitais brasileiras sediarão as redes de monitoramento cidadão: Florianópolis (SC), João Pessoa (PB), Palmas (TO) e Vitória (ES), com apoio financeiro do Fundo Socioambiental da Caixa.

Foto: Polly de Castro