Categoria: Social

Encontro

Encontro aproxima crianças do meio ambiente em Goiânia

Goiânia recebe, no sábado (19), o Encontro Criança e Natureza, promovido pelo Instituto Alana. A programação do evento prevê rodas de conversas, oficinas, exibição de filme e o lançamento do livro A última Criança na Natureza, de Richard Louv.

O Instituto Alana, sediado no Rio de Janeiro, trabalha várias temáticas ligadas à sustentabilidade e desenvolvimento infantil. As atividades programadas para o Encontro são voltadas principalmente para crianças e os pais e versam sobre: consumo consciente, a importância do brincar, conexão entre jovens e natureza, etc.

Também serão apresentados dois casos de sucesso, o da Escola Vila Verde, de Alto do Paraíso de Goiás, e o projeto Casa Fora de Casa. A Secretaria de Educação, Cultura e Esporte (Seduce) é parceira do evento.

 

Serviço:

Assunto: Encontro Criança e Natureza

Data: 19 de agosto

Horário: 9h

Local: Centro Cultural Martim Cererê – Quadra 18, Tv. Bezerra de Menezes, s/n, Setor Sul

Mais informações: www.criancaenatureza.org.br ou contato@criancaenatureza.org.br

amazonia_floresta_água

Edital seleciona instituição para elaboração de documento sobre juventude e meio ambiente

Documento técnico será utilizado nas seções temáticas do processo de construção do Plano Nacional de Juventude e Meio Ambiente (PNJMA)

Até 18 de maio, o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) e o Ministério do Meio Ambiente do Brasil estão com edital aberto para institutos, fundações ou empresas que realizem pesquisas sobre o papel dos jovens na preservação da natureza. Processo de seleção vai escolher a instituição responsável pela elaboração de um documento técnico que será utilizado nas seções temáticas do processo de construção do Plano Nacional de Juventude e Meio Ambiente (PNJMA).

A publicação deverá abordar os temas “mudanças climáticas”, “gestão de resíduos sólidos e hídricos”, “produção e consumo sustentáveis”, “biodiversidade” e “conservação ambiental com inclusão social”. No documento, os desafios, oportunidades e direitos relacionados a essas áreas deverão receber destaque.

Além da produção de material textual, a instituição selecionada também desenvolverá o projeto gráfico da publicação.

As propostas podem ser elaboradas por um conjunto de diferentes instituições, desde que apenas uma seja identificada como proponente responsável.

O estudo encomendado pela agência da ONU e pela pasta federal é parte do projeto do UNFPA “Dinâmica de populações e as implicações para a agenda do planejamento sustentável”. A iniciativa do Fundo das Nações Unidas tem por objetivo fornecer subsídios para a construção de uma pauta ambiental nacional e internacional, sem perder de vista tendências demográficas e as metas de desenvolvimento sustentável.

Acesse o edital, com informações detalhadas para os interessados, clicando aqui.

Da ONU / Foto: Flickr (CC) / Dams999


horta-urbana

Parques de Goiânia terão hortas comunitárias

Programa da Prefeitura da Capital visa incentivar o cultivo de alimentos em espaços urbanos de lazer e também nos lotes baldios

Deivid Souza / Fotos: Jackson Rodrigues – Secom Goiânia

Pelo menos 15 parques de Goiânia devem ter hortas comunitárias implantadas. A ideia da Prefeitura é que o cultivo nos parques sirva de incentivo para que moradores da capital criem novos espaços de produção de alimentos.

Os lotes baldios estão no alvo da Prefeitura. Goiânia tem mais de 130 mil deles, que são geradores de problemas para a população e a administração do município. Os espaços servem para acumular lixo, criadouros de mosquitos e outros insetos, mato, e por aí vai, uma série inconvenientes. Mas o que é dor de cabeça, pode se tornar solução se uma inciativa da administração municipal se desenvolver: o Programa Horta Para Todos.

Para instalação das hortas urbanas, podem ser utilizadas áreas públicas e lotes baldios. De acordo com a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, Trabalho, Ciência e Tecnologia (Sedetec), que desenvolve o programa, os interessados podem pedir autorização à pasta para instalar os espaços de cultivo nas áreas públicas. No caso dos lotes baldios, a negociação deve ser feita diretamente entre quem deseja usar o espaço e o proprietário.

O diretor de Abastecimento e Agricultura Familiar, Rodrigo Miranda Ribeiro, explica que após a escolha do local, uma equipe da Prefeitura vai até o local para fazer a análise do solo. Se for necessária correção, a pasta tem condições de dar o suporte, caso seja inviável o cultivo no local proposto, outro espaço deve ser escolhido.

”Os produtos gerados dentro do Programa Horta Para Todos podem ser distribuídos entre quem cultiva ou mesmo comercializados, inclusive, a Prefeitura de Goiânia pode até comprar esses alimentos”, acrescenta Ribeiro.

horta-urbana II
Alunos participam de curso de hortas comunitárias ao lado do Paço Municipal

O programa, que é realizado em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), inclui também: oferta de curso de cultivo, com duração de três dias; suporte técnico; doação de mudas e apoio administrativo. Para tal, foi construída uma horta-modelo em frente ao Paço Municipal.

Para ter o apoio, os agricultores precisam se comprometer a não utilizar agrotóxicos, todo manejo deve ser feito de maneira orgânica nas hortas comunitárias.

Projeto

Para dar incentivo aos proprietários de lotes baldios, a administração municipal pretende enviar à Câmara de Vereadores um projeto de lei que conceda desconto para quem autorizar o uso social dos lotes.

Inscrições:

Os interessados devem efetivar a inscrição presencialmente na própria Diretoria de Abastecimento e Agricultura Familiar, localizada na Avenida do Cerrado, nº 999, Park Lozandes, Bloco B, sede da Sedetec.

kalunga

Descendentes de escravos fazem curso de Meio Ambiente em tablets

Curso técnico será oferecido na modalidade EAD para 200 alunos de comunidades kalungas. Estudantes residem na zona rural da Chapada dos Veadeiros em Goiás

Deivid Souza, com informações da Seduce

Estudantes de comunidades kalungas dos municípios Monte Alegre de Goiás, Iaciara e Cavalcante, situados na Região Norte de Goiás farão um curso técnico em Meio Ambiente na modalidade Ensino à Distância utilizando tablets.

Os equipamentos serão entregues nesta sexta-feira (17) pela Secretaria de Educação, Cultura e Esporte (Seduce) que promove a capacitação. Serão 200 alunos matriculados no curso que tem duração de 2 anos com carga horária de 1,2 mil horas. Os estudantes também cursam o Ensino Médio na rede pública estadual.

Como não há rede de internet nas comunidades kalunga, que ficam no meio rural, os tablets vão operar off-line. “A saída foi utilizarmos os recursos da plataforma Moodle, um ambiente de suporte ao ensino e aprendizagem que nos permitiu disponibilizar todo o material didático de forma off-line”, explica o chefe do Núcleo de Organização e Atendimento Educacional (Nuoaed), João Batista Peres Júnior.

A cada 15 dias, os alunos comparecerão aos 15 polos de apoio que foram montados. Nestes locais, os estudantes terão aulas presenciais e o conteúdo do próximo período será carregado para os tablets. Ao final do curso os equipamentos devem ser devolvidos à Seduce.

Origem

As comunidades kalunga são foramadas por descendentes de escravos fugidos e libertos das minas de ouro do Brasil Central. Esses escravos formaram comunidades autossuficientes situadas em locais de difícil acesso nas proximidades da Chapada dos Veadeiros. As comunidades viveram isoladas por mais de 200 anos.

Kalunga é o nome de uma árvore do cerrado brasileiro com poderes de cura e também de um córrego no Vão do Paranã. Na língua banto, Kalunga significa lugar sagrado.

A área ocupada pelos Kalungas foi reconhecida pelo Governo do Estado de Goiás, desde 1991, como sítio histórico que abriga o Patrimônio Cultural Kalunga, também reconhecido pela Unesco como maior área de quilombo do Brasil.

Campo

O curso técnico oferecido em parceria com o do Ministério da Educação (MEC) faz parte do programa Qualificampo, criado pela Seduce para promover a qualificação profissional aos estudantes da zona rural.

antesquesejatarde

Crianças cantam música dos Titãs em nova campanha do UNICEF

Ação faz parte da campanha #AntesQueSejaTarde

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) lançou na terça-feira (24/1) a campanha #AntesQueSejaTarde. Entre as peças da ação, há um vídeo em que crianças cantam a música “Epitáfio” do grupo Titãs, em meio a uma realidade de vulnerabilidade social.

A campanha #AntesQueSejaTarde pretende mobilizar o público a apoiar o UNICEF por meio de doações à organização.

“O UNICEF está presente em mais de 190 países. Estamos trabalhando para transformar a vida das crianças mais vulneráveis, não importando a situação, seja em um conflito armado, seja no interior da Amazônia, em uma cidadezinha do Semiárido ou na periferia de uma grande cidade brasileira”, explicou Wim Desmedt, diretor de mobilização de recursos do UNICEF no Brasil.

Para doar para a campanha, basta acessar http://unicef.org.br/doe.

Parceiros

A campanha #AntesQueSejaTarde foi criada de forma pro-bono (gratuita e voluntária) pela Isobar Brasil — agência do grupo Dentsu Aegis Network — e contou com apoio da produtora Drive Filmes (RJ). A banda Titãs cedeu os direitos da música “Epitáfio” para a campanha.

“Nosso objetivo com a campanha é mobilizar as pessoas em torno da missão do UNICEF. Para nós, é um privilégio poder usar nossa expertise para transformar a vida das crianças que mais precisam”, disse Mateus Braga, diretor-executivo de criação da Isobar.

Sobre a Isobar Brasil

A Isobar Brasil é uma agência de publicidade que faz uso da tecnologia e da criatividade para desenvolver soluções de comunicação e contribuir com o resultado de clientes como Banco do Brasil, Sky, Fiat, Jeep, Whirlpool, Nivea, Embratur e TIM.

A agência foi a vencedora do 1º prêmio Innovation Lion da América Latina e do Brasil, recebido no Festival de Criatividade de Cannes 2014. A empresa tem mais de 280 funcionários em escritórios de São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Brasília.

Confira o vídeo:

Da ONU Brasil / Foto: Reprodução

microjardinagem

Crianças aprendem técnicas de microjardinagem

Oficina realizada em Curitiba desperta para relacionamento com meio ambiente

O trabalho com a terra é uma forma de se conectar com a natureza. O resgate desses valores foi foco de uma aula de microjardinagem oferecida pela Oficina Verde na sexta-feira (20), em Curitiba-PR.

Gestores ambientais voluntários ensinaram técnicas de plantio em pequenos vasos. Com a participação de crianças e adultos, a oficina aconteceu na praça da Capela Santa Maria, palco da Oficina Verde, que tem programação até o dia 27. “O microjardim é uma forma de se conectar ao mundo natural e observar o desenvolvimento de uma planta. Em um pequeno espaço pode se ter um grande número de plantas”, explicou a gestora Iracema Bernardes.

O encantamento das crianças com a atividade também serviu de motivação para os pais. A maestrina Priscila Prueter levou os dois filhos, Thiago e Gabriel, para a vivência. “A geração deles é muito ligada à tecnologia. Se não estivéssemos aqui, eles provavelmente estariam no computador. Por isso é importante levar esse conhecimento para casa e multiplicá-lo”.

Thiago, de 11 anos, explicou o que ele vivenciou na oficina. “Eu peguei um vaso reciclável, coloquei pedra, areia e terra e depois coloquei as plantinhas”. O irmão, Gabriel, de 7 anos, gostou muito da aula e até ganhou um novo animal de estimação. “No meu vaso veio até uma minhoca!”, brincou.

Sílvia Rosler de Souza é consultora ambiental e professora universitária e levou a filha Beatriz, de 4 anos. “Quando era criança, minha mãe me ensinou a lidar com as plantas. Agora quero passar essa experiência para minha filha”, revelou.

Sempre realizada no mês de janeiro, a Oficina Verde abre o calendário anual de eventos do Programa de Conscientização Ambiental Nós e o Meio Ambiente, uma ação permanente da Prefeitura de Curitiba. O objetivo é sensibilizar e conscientizar a população sobre a necessidade da contribuição de todos para diminuir os aspectos negativos do impacto ambiental.

Nesta segunda-feira (23), acontece Oficina de Ervas Aromáticas, Temperos e Hortaliças, com o Mago Jardineiro, às 14h (para crianças) e 16h (para adultos).

Da Prefeitura de Curitiba / Foto: Divulgação