Circuito social estimula convivência familiar em praça verde

alegria-e-surpresas-durante-o-show-de-magica

Ação reúne dezenas de famílias em espaço com brincadeiras e oficinas

Um domingo para a família, repleto de brincadeiras, música, arte e muita diversão, assim foi mais uma edição do Circuito Arte Consciente, realizado no domingo (16), no Setor Marista.

Estimular a convivência, a interação e as brincadeiras de rua estão entre os principais objetivos da iniciativa desenvolvida na Praça Conceito Consciente. Nesta edição, uma das atrações que fez sucesso foi a oficina de navio, em que pais e filhos puderam estimular sua criatividade usando material reciclável para fazer barquinhos de brinquedo. Além da oficina, sessão de contação de histórias, show de mágica, apresentações musicais e muitas brincadeiras tradicionais como pula corda, bambolê, pula-pula, pinturas de rosto fizeram a alegria de crianças e adultos. O Circuito Arte Consciente também contou com uma feira com produtos artesanais e quitutes.

“Confesso que vim sem muitas expectativas, mas estou adorando e agora vou trazer minha filha sempre que tiver”, afirmou a advogada Maria Silvia Pinheiro, 37 anos, mãe de Maria Luisa, de três anos, que foi uma das primeiras a chegar e já no final do evento não queria saber de ir embora.

show-de-magica-divertiu-o-publico
Show de mágica divertiu público. Fotos: divulgação

Para a psicóloga Gabriela Inácio Ferreira, especialista em atendimento infantil, eventos como o de domingo trazem uma grande contribuição para o desenvolvimento pleno das crianças. “Todo mundo que vem a um evento como esse vem com o mesmo propósito: buscar convivência com a família, com amigos e ter momentos de lazer saudáveis e mais leves. Isso para o desenvolvimento infantil é fantástico, porque é uma chance que as crianças têm para trabalhar a coordenação motora, a sua noção corporal e a criatividade”, argumenta Gabriela.

A interatividade com outras crianças e o maior contato com o mundo real são outros pontos positivos ressaltados pela especialista. “Temos também a questão da civilidade e da empatia, pois eu só começo a respeitar o outro quando me conheço, quando aprendo sobre mim, quando me descubro. Portanto, aqui elas [as crianças] aprendem a fazer seu brinquedo e aprendem também a dividir o brinquedo e a brincadeira. Hoje em dia a mídia bombardeia as crianças com muita coisa, por isso acho que elas estão muito inseridas nesse mundo tecnológico e virtual, criando-se muitas vezes um comportamento individualista”, avalia a psicóloga.

Próxima

“Cada vez mais a gente vai aprimorando e aperfeiçoando o evento”, avaliou Felipe Inácio Alvarenga, coordenador de Responsabilidade Socioambiental da Consciente Construtora e Incorporadora, empresa realizadora do evento que está em seu terceiro ano consecutivo.