Construir e Sustentar: morar bem e em harmonia com o meio ambiente

Aproveitamento de água e tratamento de efluentes permite higienização de 200 veículos no Residencial Ecovillaggio em Goiânia

Construtoras investem em soluções inteligentes na busca por sustentabilidade. Energia solar, uso racional da água e materiais ecoeficientes são apenas alguns dos atributos que visam melhorar edificações

Um dos desafios é, segundo a ONU Meio Ambiente, melhorar em 30% a eficiência energética até 2030 para manter o Planeta no caminho rumo às metas do Acordo de Paris

 

Deivid Souza

O segmento da construção civil tem adotado diversas inovações para agradar clientes e equilibrar os negócios sob o tripé da sustentabilidade: ambiental, social e econômico. Esta busca tem gerado várias inovações. Por este motivo, o Canal Sustentável publica hoje e nos dias 31 de janeiro e 7 de fevereiro três reportagens da série Construir e Sustentar: morar bem e em harmonia com o meio ambiente

As alternativas passam por utilização da energia solar fotovoltaica, aproveitamento de água da chuva, tratamento de esgoto para reuso de água, materiais que minimizam o uso da eletricidade, etc.

Embora não seja uma realidade em todas as construções, o aproveitamento de água das chuvas se tornou praticamente um clichê nos prédios. Agora, as atenções em relação aos recursos hídricos nas edificações se voltam também para as chamadas águas cinzas, provenientes de lavatórios e chuveiros.

Após o tratamento, a água é destinada a rega de plantas, higienização de áreas comuns e até lavagem de carros. É o que acontece em um condomínio da Loft construtora, em Aparecida de Goiânia, onde o lavajato interno possibilita a limpeza de até 200 veículos por mês. “A água é um recurso natural inestimável e está cada vez mais escasso no planeta”, reconhece o diretor da empresa, Gustavo Veras.

Bosque

A empresa decidiu, em 2013, abrir mão de construir uma torre em um empreendimento de Goiânia para preservar uma área permeável equivalente a 2.856 m². O espaço permitiu a manutenção de mangueiras com mais de 50 anos de vida. Veras argumentou que a medida, tomada em 2013, visa agregar “qualidade de vida e manutenção do meio ambiente”.

Verde foi levado para dentro do Residencial Botanic da Consciente Construtora
Verde foi levado para dentro do Residencial Botanic, criando espaço de convivência para moradores / Foto: Divulgação

Também na capital de Goiás, engenheiros e arquitetos inovaram para tornar possível um bosque com 3 mil m², erguido no mezanino de um edifício residencial da Consciente Construtora e Incorporadora. As lajes receberam uma manta especial, impermeabilização diferenciada e um sistema de drenagem com ralos para drenagem da água proveniente da rega. “Uma camada de 50 centímetros de terra será depositada sobre as lajes, o que permite o crescimento de árvores de até 10 metros de altura”, explica o arquiteto e paisagista, Benedito Abudd. O local abriga 1.622 plantas de 30 espécies de médio e pequeno porte. Um lago autolimpante de 148 m² também decora o espaço.

Leia também, no segundo episódio da série Construir e Sustentar: morar bem e em harmonia com o meio ambiente como construtoras investem em energias renováveis e tratamento de esgoto.