Incêndios crescem 45% em Goiás

incendio

No Brasil, já foram registrados 53 mil focos de incêndio, acréscimo de 65% em relação ao ano anterior

Deivid Souza / Foto: Divulgação Ibama

A quantidade de incêndios em Goiás está 45% que em 2015 no comparativo dos primeiros oito meses do ano. A atuação do fenômeno El Nino nos últimos dois anos que tem como consequência ampliação e maior severidade dos períodos de estiagem são apontados como principais fatores que influenciaram para o acréscimo.

No Brasil, este aumento é ainda maior. Segundo dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), em 2016 houve um aumento de 65% nos focos de queimadas e incêndios florestais em relação ao mesmo período do ano passado. Os dados até o dia 5 de agosto apontam que aconteceram mais de 53 mil focos.

Embora as queimadas no Cerrado sejam um fenômeno natural e necessário para sua vida, a ação humana tem colocado em risco o bioma porque muitos dos incêndios fogem do controle e atingem, eventualmente, áreas de preservação ambiental. O fogo no Cerrado é necessário para a renovação do bioma. Algumas sementes, por exemplo, precisam ser submetidas a altas temperaturas para que germinem, o que só acontece com as queimadas.

Prevenção

O Centro Nacional de Prevenção e Combate aos Incêndios Florestais (Prevfogo) do Ibama, divulgou que neste ano foram contratados 834 brigadistas, que estão atuando em 50 brigadas distribuídas por 18 estados, sobretudo na região Noroeste do Brasil, fronteira do Cerrado com a Amazônia, no chamado arco do desmatamento.