Pesquisador goiano desenvolve testes rápidos para identificação de agrotóxicos em alimentos

Professor Boniek Gontijo Vaz

Metodologia, além de mais rápida, também é mais eficiente

Pesquisa da Universidade Federal de Goiás (UFG), desenvolvida no Laboratório de Cromatografia e Espectrometria de Massas – LaCEM do Instituto de Química (IQ), é responsável por desenvolver metodologia mais ágil para análise qualitativa e quantitativa de resíduos de agroquímicos em alimentos. O estudo foi motivado por uma carência de métodos ultrarrápidos e inequívocos para detecção de resíduos em hortaliças, legumes e frutas, que são alimentos ingeridos, em sua maioria, na forma crua.

Duas metodologias desenvolvidas mostraram ser eficientes e atuam de forma super-rápida – a duração da análise é em torno de 30 segundos, explica o professor Boniek Gontijo Vaz, responsável pelo projeto. “Desenvolvemos duas abordagens de espectrometria de massas que consistem em realizar a análise diretamente sobre a amostra em poucos segundos. A própria amostra é o substrato para fazer a análise”, explica. Segundo o pesquisador, a espectrometria de massas é conjunto de recursos que permite identificar moléculas a partir da determinação da massa das mesmas.

Benefícios

Para o pesquisador, o estudo traz alguns benefícios práticos. Entre eles, está o fato de ser uma metodologia mais verde, por minimizar etapas de preparo de amostras. “Tradicionalmente, teríamos que fazer uma extração – macerar o alimento e adicionar solvente –, o que gera um gasto grande de solventes e impacta o meio ambiente de alguma maneira”, explica Boniek Vaz. Além disso, como a técnica é ultrarrápida, torna a metodologia mais eficiente permitindo a análise de mais amostras em menos tempo.

Metodologias
Os pesquisadores fizeram um estudo comparativo das duas metodologias de espectrometria de massas: paper spray ionization e leaf spray, no objeto de análise. O estudo resultou no artigo “Rapid screening of agrochemicals by paper spray ionization and leaf spray mass spectrometry: which technique is more appropriate?”, publicado no periódico britânico Analytical Methods, em agosto de 2016.

O método desenvolvido pelo professor e seus alunos é capaz de gerar resultados de forma bem mais simples. “Em espectrometria de massas, medimos as massas das moléculas e dos átomos em sua forma ionizada. É como se a espectrometria de massas fosse uma balança molecular”, fundamenta o professor.

Além do professor Boniek Vaz, integram o projeto de pesquisa alunos de iniciação científica, mestrado e doutorado. E também contribuíram os professores Rodinei Augusti da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e Wanderson Romão do Instituto Federal do Espírito Santo (IFES).

Da redação com assessoria / Foto: Carlos Siqueira-UFG