Walmart pretende controlar procedência de 100% da carne bovina até 2017

boi

Empresa divulga política em que se compromete a não comprar carne bovina produzida em áreas desmatadas

Deivid Souza / Foto: Seapa

O Walmart Brasil divulgou nesta quarta-feira (25) uma política na qual se compromete a não comercializar carne originária de áreas de desmatamento. A empresa, assim como outras grandes varejistas do Brasil, vinha sofrendo pressões de ONG’s para adotar a medida.

O compromisso divulgado pela rede estabelece, entre outras medidas, que os fornecedores respeitem a legislação ambiental e trabalhista. Os fornecedores que tenham áreas embargadas pelo IBAMA serão vetados. A expectativa da rede varejista é que até 2017, 100% da carne bovina seja monitorada.

Greenpeace

Em 2015, o Greenpeace publicou um relatório sobre a análise das políticas de compra de carne bovina da Amazônia das grandes redes de varejo do Brasil. Os resultados ainda estão disponíveis no site da ONG e há uma campanha em andamento pressionando outros varejistas a melhorarem a política de compra de carne bovina no País.

Análise

Em 2009, um grande escândalo colocou na berlinda os maiores frigoríficos do País, e por consequência, as grandes redes varejistas. Eles foram denunciados por uma ONG por comercializar carne bovina produzida em área de desmatamento na Amazônia.

Na época, várias empresas se comprometeram publicamente a acompanhar a origem da carne para evitar o desmatamento na Amazônia. O Walmart e outros varejistas chegaram a suspender temporariamente a compra de vários fornecedores até que a situação fosse esclarecida.